terça-feira, 18 de março de 2014

língua dos anjos

todas as vezes em que caímos do céu
assistimos vendados a vaidade

nos pecados de anjos derrubados
e na morte

todos os seus cuidados
os lugares inacabados
as mais fornicadas paisagens
para amar os outros em primeira pessoa
sempre deixamos de lado
a quem nos perdoa

toda a beleza em partir

o afago da faca afiada
nos braços que um dia
carregaram-te à cama
fazem do choro
toda a ternura em partir
toda a beleza em ficar
Ocorreu um erro neste gadget