segunda-feira, 22 de julho de 2013

onde termina o amanhã

o mundo é muito perigoso do lado de fora
guardamos o melhor para depois
somos crianças perdidas em tantas vozes
as vozes dos velhos que esqueceram o que dizer
nossos dentes ficaram pelo caminho
muitos açúcares e riscos
soubemos nos acidentar
vendemos energia e impulsos nervosos
serotonina em seringas contaminadas
bocas sujas e cabelos mal cortados
nossos destroços são os olhos e lembranças
a preguiça e quanta felicidade engarrafada
disposta em prateleiras empoeiradas
não mexemos em nada
somos a própria cena do crime
imagem e semelhança
nos espelhos que mentem a todo o tempo
e temos tanto tempo a perder

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ocorreu um erro neste gadget