sexta-feira, 24 de agosto de 2012

mecanismo orgânico


a verdadeira vontade que satisfaz
o ego sujo e imundo
deita-se cabeças e colos em ombros perdidos
perdoa-se o sangue que escorre dos olhos e narinas
a corrente de ar prende respirar tanto lentamente
o que a falta faz de fazer de conta
qualquer solução emulsificada
cadeias carbônicas deixadas para trás
de mim restaram os benzenos

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ocorreu um erro neste gadget