quarta-feira, 17 de maio de 2017

A pele dos insetos

São as três horas da manhã
de outra nascente do sol
Mitocôndrias e barbitúricos
A língua seca que lambe o cal
A lama descama a pele dos insetos
Mortos de fome
Renascidos da córnea devorada
Perder a vista é a menor intempérie
Nascemos vertiginosamente cegos
Filhos de luz e Afrodite
A beleza que conforta os dentes
Aquece os vermes
O dissabor desse maldito frio
Ofusca a dor do morto
Que ser corpo e alimento
De micróbios e bactérias

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ocorreu um erro neste gadget