segunda-feira, 21 de janeiro de 2013

lâmpadas incandecentes, fluorescentes e leds

ainda assim temeria a escuridão
carregando nos bolsos
um último fósforo
arriscaria antes do tempo previsto
não era pedir demais
era tentar uma segunda vez
e verificar os resultados obtidos
não teria nada a perder
somente os espelhos e padrões
e ainda assim voltar para casa
...
tentar dormir um pouco
talvez não o bastante
queria o que fosse demais
fotossínteses e descobertas
tudo que fosse suficiente
o necessário e mais um bocado
um pouco de sangue e luzes fluorescentes
um amor qualquer num guardanapo amassado
cigarros e gargantas arranhadas
dentes amarelados
um trago de vodca barata
sexo e um grupo de terapia
a estrada mais curta e o chão molhado de suor
queria o cheiro do mijo e das ratazanas
sorrisos e lugares apertados
banheiros químicos
tudo no lugar certo
de onde ficava observando os pássaros
os passos apressados de quem deseja morrer
dos pulsos cortados
da luz apagada
dormir mais cedo sem ajuda de remédios
não tinha nada a perder
só os padrões e pontos de referência
os atalhos e colchões infláveis
as vozes e bocas carnudas
e todas as vezes em que foi devorado

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ocorreu um erro neste gadget