segunda-feira, 12 de agosto de 2013

antiguidades esquecidas debaixo da cama

viver até ficar velho
estar velho
falar velho
ser sombra de velho
o tempo some
morre
perde a memória
leva pra casa
toda a discórdia
da morte
da hora
beira da cama
o esquecimento
lençóis
camas trocadas
comprimidos coloridos
preto e branco
para poder ir embora
ou ficar ensinando
todo o não saber de velho
toda falta de esperança
conheço cada perda de lembrança
em sorrisos ocos e apagados
dormindo
sonharei com a morte
dormirei acordado
acordado

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ocorreu um erro neste gadget