sábado, 30 de julho de 2011

perdição

perdi você de vista, e quando o tempo se fez fácil demais de entender, procurei de todos os lados, errando a cada passo e tremendo de medo com o mesmo sentimento de fraco. gostei de sofrer por você, sofri demais e dei conta das perdas e cada passo que errava, pensei demais se não era para seguir ou esperar um sinal de nossa perdição selecionada sorrir para mim e oferecer ajuda. atrasei os mesmos fatos contrários que deixamos pelo caminho apertado em circunferências quase exatas e exalei palavras que você não se ofereceu a ouvir. de tanto tempo exato, carta amassada ousada, ousadia planejada, em meio a tantos tormentos, amargos versos pequenos que relatam o quanto você não se importou eu perdi.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ocorreu um erro neste gadget