quinta-feira, 2 de fevereiro de 2012

farinhar

de primeira
dia outro
mesmo pesar
em manhã de escuro
aberto o céu se cala
de longe fumaça
pedaços de lenha
carvão
apressa o forno
lenha ardente
fogo brando
pouco a pouco
mói mói mói
laboriosamente
estorvo
suor que alimenta
cloretos
aperta coa aperta
torrando lentamente
por causo que
em cidade é diferente
e comida na roça
não nasce pronta








Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ocorreu um erro neste gadget