terça-feira, 18 de outubro de 2011

um passo

um passo atrás
voltando aos velhos problemas
apenas a roupa do corpo
trapo mofo edema
cansados de correr
corremos atônitos
fresta que estende direção
oposto ao que sabemos de nós 
então entenda
eu vou demorar
disse meus dentes
por que não?
honestamente não vejo
nenhuma virgem santa
olhando por mim
olhamos ao redor
talvez mais do que deveríamos
melhor arrumar esta bagunça

mensagens do inferno
chegam com os desgraçados
todos os olhos entreabertos
julgando tudo o que podem
somos meros objetos
volte mais um pouco 
mais uma vez
tentamos de novo e de novo
para controlar ou desistir
chegamos tarde demais
você está presa eu vida falha
como deveria estar estamos
cortes de navalha
ideias vindas do inferno
filhos da puta como nós
acabaram na cadeia
rimos horas a fio
engasgamos sofridos afagos 

nunca fomos tão toleráveis
fomos assim um dia desses
fossemos melhores
sociavelmente toleráveis
odiamos esperar
sempre foi tão fácil
demasiadamente facilitado
Esperar

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ocorreu um erro neste gadget