sexta-feira, 4 de novembro de 2011

mau agouro

mau agouro
fraco sentimento
tossimos sangue
uns em outros
cansados de corpo
hipócritas sorrateiros
eu mais tu
sofremos tarde
andamos pé em chão
cada passo frente outro
vagarosamente
sem barulho que se ouvisse
som de cabeça morta
enorme construção de carne e osso
templo de poeira 
nociva sensação de conforto
queremos paz
mudança das coisas que sucedem
pensamentos quais forem
raciocínios lógicamente tolos
sabedoria utópica
vazios de peito
alma que seja e foi
filhos de nada e rua
somos se quer e que seja
dois qualqueres 
perfeitos estorvos






Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ocorreu um erro neste gadget