terça-feira, 22 de novembro de 2011

paradigmas

dolosamente
calorosamente
medo de verdade
fraco em tosses repentinas
feio de aparências
triste dúvida sorrateira
acalma chora e ri
reorganiza vontade frágil
espelho de excremento e mágoa
palavras chulas
resultados amargos
em garganta que arde
cal e cigarros
guimbas devidamente descartadas
olhamos pasmos
futuro incerto
origem obscura 
de contentamentos fúteis
passamos nada de valia
meros paradigmas
emaranhados abandonos de erros
e passamos esquecidos
com cabeça de merda e nuvens
sonhamos alto e ressaca
ainda não sonhamos mais




Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ocorreu um erro neste gadget