segunda-feira, 16 de janeiro de 2012

frascos herméticos

deixo tudo para trás
vez em quando
saio por ai
sem canção nos lábios
sem moedas no bolso
mãos vazias
e se agora
a tonalidade que acalma
tranquilamente se afasta de mim
e de nós outros
nós mesmos
se em meio a tanto
eu acho pouco que sirva
ou que valha a pena testar
funcionamos bem
nas primeiras horas
depois deixamos a desejar
desajustes necessários
de cada vez cadaveres
guardando o melhor em frascos
herméticamente lacrados
não saímos do lugar
ainda caminhamos pouco
a luz distante
não indica coisa alguma
não existe uma saída
nossa direção é contrária
casa fica do outro lado
vamos nos arriscar
em cama de artifícios
segredos dormem em paz
esperando o medo passar
que cai do céu
molha e afoga
e se respiro dificil
é que tu me roubas
todo o ar




Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ocorreu um erro neste gadget