quinta-feira, 5 de janeiro de 2012

rabiscos

espero em pernas cansadas
diversificando formas outras
e solidão que acalenta
acalma em pequenas restrições
deixando de lado vontade que passa
volta em retalhos e retratos
desconhecidos rostos
sorrisos apáticos
mostram-me os dentes
calo-me em boca de outros
expressando sensações de vazio
e ao passo que miúdo de fato
atrofio em razões e descuidos
no pouco que resta desisto
vez que fosse eu procuro
e ainda em local impróprio
crio e te escrevo em rabiscos

Um comentário:

  1. Oi João Daniel,

    Amei tua poesia. Me identifiquei por demais com tgeu lirismo e com a forma com a qual vc constrói o poema. Parabéns. Gostaria de convidá-lo a visitar http://emaranhadorufiniano.blogspot.com e ler os artigos e poemas meus postados lá. Já te sigo aqui e no facebook. Saudações!!!

    ResponderExcluir

Ocorreu um erro neste gadget