sexta-feira, 23 de dezembro de 2011

benção

ando sendas desconhecidas
em devaneio envaidecido
orgulhoso da ignorância
benção acalma olhos
ávidos por choro
forço vontade passageira
diferentes formas de contato
experimentando o abstrato
rabisco em palavras desconexas
o amor que não acredito


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ocorreu um erro neste gadget