terça-feira, 16 de agosto de 2011

ao soluçar a benção da sombra

frialdade inodora
de abrupta empatia
na iminência do oposto
chego hora cedo
cansado de desgosto
vendo lágrima tua
escorrer sem vontade
ode a nostalgia
abanstema altivo sombra tua
volta ao assombro
esqueca-me
desabriga eu vontade tua
canso-me lamúrias frágeis
amor desgosto âmbito de estrago
chore comigo tu
nossa dor é passageira
vez outra que sentir
não diferença faz
certo de pouco receber
prefiro nada a mendigar
o resto que tens a oferecer
eu já não choro nem tu

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ocorreu um erro neste gadget