terça-feira, 9 de agosto de 2011

gestos



portões metálicos trancafiados
separam meros lamentos forçados
pronunciam lentamente
verdadeiramente insignificante a fuga
ficou ausente tempo pouco

carecemos de pequenos gestos obscenos
que traduzem dor insistente
remetem ao oco preenchimento
dos olhos que tanto oferecemos

tendo o fator inacabado
querendo mais que outros
ficar não inerte tanto
perdeu em momentos errantes
curtos demais para nós

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ocorreu um erro neste gadget