sexta-feira, 16 de março de 2012

(re)cortes de navalha

vias respiratórias
carregadas
em exessos retrógrados
sofrimento acalma
penosos castigos amáveis
adorar-se-iam
lubrificando olhos
mãos e corpo
despidos
vestes de sangue
escapulindo-se
na desistência da espera
amontoando as sombras
sobras migalhas
sonhos e desesperanças
indecisões tiradas
própria sorte
indevida imprecisa impessoal
orgulhosos da vergonha
carne carregada de impurezas
defeitos notáveis
gênios afiados
atirados em sarjeta e pecado
acenando o vazio
suspirar desejos
soterrados em luxúria e cuidados
trancafiados
em averso à sociedade
saciaram bocados
boca a boca
de tantos raciocínios lógicos
revigorando em gozo de outros
escondido em chaves
sorrisos carregados
de cinismo e navalha
deixaram escapar
saudade

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ocorreu um erro neste gadget