sábado, 31 de março de 2012

dis-fórmula poética

vez a olhos meus disseram
que poesia se constrói
em análises matematicas
conjunto ao subjuntivo
carregada de tropos linguisticos
que a poesia é de concreto rígido
cimentos e tijolos ordenados
imagens contextuais
fatos lógicos e raciocínio
sempre os mesmos adjetivos
sentidos reprimíveis
atrele a importância
da escolha certa de palavras
em arames farpados
desenha o melhor caminho
mas não terreno eu que siga
a disformidade a mim de fato
em reconditos espelhos convexos
refletindo paradoxos
impretéritos
não perfeccionistas
que riem metalinguisticamente
ao errarem a fórmula certa da poesia

- nunca fui bom com os números.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ocorreu um erro neste gadget