quinta-feira, 15 de março de 2012

lápis de cor

em mãos frágeis e trêmulas
veio acariciando faces
abrindo portas e trejeitos
desnecessariamente
cobrindo a nudez
em olhos recatados
recolheu os vestígios
escondendo catarse
em cores sóbrias
frios cobertores
aqueciam sorrisos
tanto que fosse
minuciosa simétrica
um ou dois mais talvez
pequenas estantes fora do lugar
arranhões e saliências
amor ao próximo
doces sensações de vazio
trancadas a caixas e pregos
fez-se o mundo descolorido
recolorir
-se


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ocorreu um erro neste gadget