sexta-feira, 17 de janeiro de 2014

o poeta morto

respirando todos os sentimentos
de qualquer universo conhecido
amante das palavras difíceis
o poeta encheu suas veias de nanquim
até escorrer pela ponta dedos
e morreu envenenado

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ocorreu um erro neste gadget